CUIA PARA ERVA MATE CHIMARRÃO - Kit completo

€ 19.90

-€ 12.60

€ 32.50

BR1

Novo produto

Disponível

CUIA DE PORONGO + BOMBA + SUPORTES (PÉS).
  • -Boca aberta (+ou- 12cm)
  • -Desenhos diversos motivos gaúchos
  • -Tamanho média (+OU- 12cm altura com pé )
  • -Suporte incluído (pés)

*Imagem meramente ilustrativa, por ser um produto natural (polongo) os tamanhos e os desenhos podem variar... 

    

A ORIGEM DO CHIMARRÃO 

O Chimarrão é um legado do índio Guarani.

Sempre presente no dia-a-dia, o chimarrão constituiu-se na bebida típica do Rio Grande do SuL - Brasil, ou seja, na tradição representativa do nosso pago. Também conhecido como mate amargo, como bebida preferida pelo gaúcho, constitui-se no símbolo da hospitalidade e da amizade do gaúcho. É o mate cevado sem açúcar, preparado em uma cuia e sorvido através de uma bomba. É a bebida proveniente da infusão da erva-mate, planta nativa das matas sul-americanas, inclusive no Rio Grande do Sul.

O homem branco, ao chegar no pago gaúcho, encontrou o índio guarani tomando o CAA, em porongo, sorvendo o CAÁ-Y, através do TACUAPI.

Podemos dizer, que o chimarrão é a inspiração do aconchego, é o espírito democrático, é o costume que, de mão – em - mão, mantém acesa a chama da tradição e do afeto, que habita os ranchos, os galpões dos mais longínquos rincões do pago do sul, chegando a ser o maior veículo de comunicação.

O mate é a voz quíchua, que designa a cuia, isto é, o recipiente para a infusão do mate. Atualmente, por extensão, passou a designar o conjunto da cuia, erva-mate e bomba, isto é, o mate pronto.

O homem do campo passou o hábito para a cidade, até consagrá-lo regional. O Chimarrão é um hábito, uma tradição, uma espécie de resistência cultural espontânea.

Os avios ou os apetrechos do mate constituem o conjunto de utensílios usados para fazer o mate. Os avios do mate são fundamentalmente a cuia e a bomba.

Advertências:

Nunca coloque água quente antes de preparar a cuia, conforme indicado abaixo.

Modo de preparo:

MANEIRA SIMPLES DE CURTIR UMA CUIA 


Para usar uma cuia nova ou que esteja sem uso há vários meses recomenda-se que seja lavada com água FRIA deixando que as paredes internas fiquem úmidas.

Em seguida coloca-se 1 colher de erva mate seca movimentando-a dentro da cuia para que grude nas paredes internas. Repetir a operação acima a cada 4 ou 5 horas por 2 ou mais vezes.
Importante: após o uso lava-se a cuia e deixa-se secar à sombra na posição horizontal.

MATEAR COM EXCELÊNCIA


Ao adquirir uma cuia nova é preciso curtí-la por, no mínimo, três dias, ato que é conhecido como curar uma cuia. Deve-se enche-la de erva-mate pura ou misturada com cinza vegetal e água quente, mantendo o pirão sempre úmido, impregnando, assim, o gosto da erva em suas paredes. A cinza é utilizada para dar maior resistência ao porongo.

 
Passando o tempo, retira-se a erva-mate da cuia com uma colher para eliminar os restos de erva. Basta enxaguá-la com água quente e estará pronta para ser usada. O mate se cura cevando, ou seja, quanto mais vezes é tomado, melhores serão os mates.


A mão direita - A entrega da cuia e o recebimento do mate deve ser feito com a mão direita.
Enchendo o mate - Pega-se a cuia com a mão esquerda e o recipiente com a direita. Após, acomoda-se o recipiente e se troca a cuia de mão para matear ou oferecer o mate. seguindo-se, sempre, pelo lado direito, o lado de laçar. O sentido da volta na roda de mate deverá partir pela direita do cevador ou enchedor de mate.

A água para preparar o mate - A temperatura nunca deve estar muito quente, pois pode queimar a erva, dando um gosto desagradável ao mate e lavando-o rapidamente, o recomendado é entre 80º e 85º graus.


O pialador de mate - É o indivíduo que, chegando numa roda de mate, posiciona-se à frente da pessoa que está mateando e à esquerda na mão da roda. O correto é ficar antes do mateador, sempre a sua direita.


A água do mate - A água nunca deverá ser fervida, pela perda de oxigênio, transmitindo um sabor diferente ao mateador. O ideal é quando a água apenas chia próximo de 85º.


Cevar com cachaça - Quando as pessoas fecham um mate (ato de prepará-lo), costumam, em lugar de água para inchar a erva, colocar cachaça, pois ela fixa por mais tempo a fortidão da erva-mate, sem deixar o gosto do álcool. Uma vez inchada a erva, cospe-se fora a infusão até roncar bem a cuia, esgotando-se completamente o líquido.


Só o cevador pode mexer no mate - A menos que se obtenha licença, só o cevador deve arrumar o mate, considerando-se falta de respeito mexer sem permissão. Podemos, isto sim, ao devolver a cuia, avisá-lo do problema.


Em roda de mate - É comum, após o primeiro mate, que sempre é do iniciar a roda pelo mais velho ou por alguém a quem se queira homenagear.


O primeiro mate - Todo aquele que fecha um mate deve tomá-lo primeiro em presença do parceiro ou na roda de mate. Este fato se tornou tradicional devido a épocas em que o mate serviu de veículo para envenenamentos. Por isso, o ato do mateador tomar o primeiro indica que o mate está em condições de ser tomado. Há a lenda jesuíta, que atribuía valores afrodisíacos ao mate. Para evitar que os índios passassem a maior parte do dia mateando, tentando afastá-los do hábito, criaram o mito entre os silvícolas cristianizados que Anhangá Pitã (diabo) estava dentro do mate.


Roncar a cuia - Uma vez servido o mate, deve ser tomado todo, até esgotá-lo, fazendo roncar a cuia.

Escrever uma avaliação

CUIA PARA ERVA MATE CHIMARRÃO - Kit completo

CUIA PARA ERVA MATE CHIMARRÃO - Kit completo

CUIA DE PORONGO + BOMBA + SUPORTES (PÉS).
  • -Boca aberta (+ou- 12cm)
  • -Desenhos diversos motivos gaúchos
  • -Tamanho média (+OU- 12cm altura com pé )
  • -Suporte incluído (pés)

*Imagem meramente ilustrativa, por ser um produto natural (polongo) os tamanhos e os desenhos podem variar... 

    

Itens relacionados